AS AUDIÊNCIAS DA REDE MANCHETE – PARTE 2

manchete

Em 1990,  o sucesso de Pantanal abalou o horário nobre da Rede Globo. A Manchete chegou a assumir o segundo posto de emissora mais assistida do Brasil, e houve até mesmo a intenção de contratar Fausto Silva para reforçar sua grade dos domingos, visando ampliar ainda mais seu sucesso.

fausto90
OLOCO, BLOCH!

Surfando na onda da pioneira trama de Benedito Ruy Barbosa, a exibição de Ana Raio e Zé Trovão em 1991 ainda gerava bons números de audiência. Mas esse momento da Manchete se esvaiu conforme a estagnação econômica do país foi aumentando.

A crise financeira que assolou a emissora com a produção da novela posterior, Amazônia, deu um duro golpe na emissora da Rua do Russel, e ela acabou entrando em um negócio com o grupo IBF em 1992. Amazônia foi um fracasso retumbante em audiência, nunca conseguindo superar a marca de mais de 5% de share, como aconteceu em dezembro de 1991. Para se ter uma dimensão do fracasso, podemos pegar o exemplo de outras produções que a Manchete exibia no mesmo período em 1992, como a novela americana Paixão e Ódio, que conseguia 2% na audiência, o mesmo número de Amazônia. Ou então o atrativo cyberpunk de Max Headroom, que chegou a espetaculares 4% nas exibições dominicais entre janeiro e maio de 1992.

AMAZONIA
DEU RUIM
maxdoris
DEU BOM

Com o fracasso de Amazônia, somada à aquisição da Manchete pelo grupo IBF, o horário nobre das novelas e, por consequência, sua grande audiência, foi para o espaço. Nenhuma novela foi produzida neste período. Para preencher essa lacuna, foi colocada no ar pela terceira vez a novela Dona Beija, um grande sucesso da primeira fase da Manchete, mas que rendeu 3% em 1992.

O maior sucesso da emissora neste período era o programa independente Documento Especial, com audiência na casa dos 9% – menor que os 19% que chegou a alcançar na época da exibição de Pantanal em 1990. Mas, como desgraça pouca é bobagem, a equipe do Documento Especial recebeu uma proposta financeira melhor do SBT, e mudou-se de casa. Coube à Manchete produzir um programa idêntico, e com temática ainda mais pesada (incluindo até mesmo cenas de sexo explícito). Nascia aí o Manchete Especial – Documento Verdade, que alternava como o programa mais assistido da emissora com o Cinema Nacional (atingiu foi 7%), exibindo clássicos da pornochanchada, semelhante ao que hoje em dia faz o Canal Brasil . A cópia do Documento Especial chegou a alcançar 11% de share. Compare os dois programas:


Em 1992, Clube da Criança
, sucesso do passado e que fora jogado brevemente para as manhãs, não figurava nem entre os cinco programas mais assistidos da emissora. Até mesmo o Milk Shake, apresentado por Angélica, já vinha com números muito abaixo do que já havia atingido anteriormente – variando entre 2 e 4%. As gravações agora ocorriam em São Paulo, prejudicando mais ainda a equipe de produção dos programas, que anteriormente eram feitos no Rio de Janeiro. Para complicar mais a situação da Manchete, o assédio da Globo para cima de Angélica crescia devido ao anúncio de extinção do Xou da Xuxa para 1993. O SBT foi outro que caiu em cima da loura, que ainda não havia renovado com a emissora carioca e, depois de muito esforço, conseguiu tirar Angélica da Manchete em 1993.

angelica_casa_da_angelica_sbt_fixed_big
ANGÉLICA NA ESTREIA DA “CASA DA ANGÉLICA” NO SBT

Ainda no campo dos programas infantis, o Cometa Alegria já havia mudado de cara em 1991. Antes um programa com informações, matérias, curiosidades e até aula de artes marciais para a gurizada, tornou-se uma mera sessão para exibir desenhos e tokusatsu. Patrick foi deslocado para o Clube da Criança como repórter mirim, e Cinthya tornou-se cantora antes de migrar para a TV Cultura, chegando a gravar uma faixa para o LP brasileiro de Kamen Rider Black. Com o Cometa Alegria sendo extinto em 1992, o Clube da Criança ocupou seu lugar nas manhãs – como já falado anteriormente. Em julho, a grade da Manchete muda novamente e Duda Little, ex-repórter mirim do Xou da Xuxa e participante do programa dos Trapalhões na Globo, assume o comando do Cometa, agora rebatizado de Dudalegria. O programa chegou a alcançar 2% de audiência neste período inicial, em que exibia apenas desenhos animados.

DUDA

Em 1993, a Manchete fechou um acordo com a empresa de Emerson Fittipaldi e garantiu a aquisição dos direitos de transmissão da Formula Indy. A estratégia foi benéfica para a emissora, com a transmissão das corridas geralmente sendo o ponto alto de audiência durante a semana- sempre cerca de 4 a 6%, números bem razoáveis para esportes na emissora. Foram exibidas também as provas da temporada de 1994, antes da categoria migrar para o SBT.

Em abril, depois de 4 meses de reprises, o Clube da Criança agora tem uma nova apresentadora: Mylla Christie foi convocada para o lugar de Angélica, que assinou com o SBT após uma quebra de contrato com a Manchete devido a emissora descumprir algumas cláusulas. Curiosamente, Angélica assinou com o SBT no mesmo dia em que a emissora voltou para as mãos do grupo Bloch, após uma disputa judicial com a IBF. Se quiser saber um pouco sobre os bastidores desta conturbada volta da Manchete para os Bloch, elenquei aqui alguns recortes de jornal da época.

Com a volta de Cybercop para o Clube, a audiência do programa aumentou e ele voltou a figurar entre os mais assistidos da emissora, chegando a 5%. Já em dezembro de 1993, com a volta de Kamen Rider Black à emissora, em um excelente horário (18h30min), mais um tokusatsu figurava entre os mais assistidos da casa. Chegando a alcançar 4% de audiência em abril de 1994, o seriado foi líder de audiência da emissora por duas semanas, repetindo o feito que Changeman e Jaspion haviam conseguido em 1989. Esta foi a última vez que um tokusatsu foi líder de audiência na Manchete.

ee3cfaab2e4d5764d11afd0922f91a73

A Manchete preparava a estreia de O Marajá, novela baseada nas maracutaias de Fernando Collor de Mello e sua gangue em Brasília, quando, no dia da estreia, foi proibida pela Justiça de leva-la ao ar. Com isso, a emissora teve que correr para lançar outra novela, que teve cenas gravadas até mesmo dentro do prédio da Bloch no Rio de Janeiro para economia nos custos. Guerra sem Fim foi ao ar e alcançou números pífios, como 2% de share.

Em julho de 1994, o Clube da Criança mudou novamente de comando, passando de Mylla para a ex-miss Brasil Patrícia, a Pat Beijo. No programa, a volta de diversos desenhos da Hanna Barbera que estavam sendo exibidos no Cartoon Network na época. Além deles, Winspector e Patrine fizeram parte do programa, que chegou a dar 3% de share.

pat-beijo-o
PATBÊJO, PATBÊJO, PATBÊJO, PATBÊJO, PATBÊJO

O novo líder de audiência da Manchete por um bom tempo seria o anime Cavaleiros do Zodíaco, a partir do final de 1994. Gradualmente, os números da série foram crescendo, a ponto de em maio de 1995 atingir o pico de 7%, alcançando 269 mil lares ligados na Grande São Paulo. Por mais de um ano os Defensores de Athena figuraram no Top 5 da emissora, geralmente sendo o líder. Aliás, a programação infantil da Manchete em 1995 garantia bons números para a emissora, com Dudalegria, Winspector, Super Catch e o Clube do Seu Boneco aparecendo diversas vezes entre os programas mais assistidos da casa, com números entre 4% e 2% de share.

cavs
CAVALEIROS: MAIS DE UM ANO SEGUIDO NA PRIMEIRA COLOCAÇÃO DA EMISSORA

A novela Tocaia Grande, o último grande feito de Adolpho Bloch antes de sua morte, não chegou a ser sucesso – variou entre 5% e 4% – mas em algumas semanas conseguiu ser o programa mais assistido da emissora.

foto_1135

Vale a ressalva: a partir de junho de 1996, a Folha de São Paulo deixou de colocar os números de alcance de audiência, passando a descreve-los como PONTOS. A partir daqui, são considerados apenas números de pontos, e não mais percentual de share.

A novela sucessora, Xica da Silva, que conseguiu bons números, e pode-se dizer que foi um dos últimos grandes sucessos da Manchete. Na Grande São Paulo, o recorde de IBOPE de Xica da Silva, segundo a Folha de São Paulo, foi de 13 pontos de audiência. Liderou a audiência dos programas mais assistidos da Manchete por 12 semanas. Enquanto muitos pensam que Xica da Silva se trata do último programa de sucesso da emissora, os números dizem o contrário.

12ago1996---cena-da-novela-xica-da-silva-da-extinta-rede-manchete-a-primeira-experiencia-de-atuacao-de-adriane-galisteu-a-modelo-reclamou-do-excesso-de-cenas-de-nudez-que-se-viu-obrigada
A POLÊMICA CENA DE GALISTEU EM “XICA DA SILVA” EM 1996

O policialesco e ultrapopular Na Rota do Crime, apresentado pelo jornalista Marcos Hummel, atingiu números idênticos a Xica da Silva (13 pontos na Grande São Paulo). Mas foi líder de audiência da emissora por 56 semanas, de um período que abrange agosto de 1996 até novembro de 1998. Durante um bom tempo, alternava a sua liderança com Xica da Silva e, posteriormente, com a última novela completa e totalmente inédita que a Manchete exibiu, Mandacaru.

Destaque também para os japoneses, como Shurato, que nas suas semanas iniciais bateu a audiência dos Cavaleiros do Zodíaco (6% contra 5%), já em reprises. O anime foi um dos últimos programas a compor a grade da emissora no seu fim em 1999. Yu Yu Hakusho e Super Campeões foram outros a integrarem o Top 5 de programas mais assistidos da emissora em 1997, alcançando 4 pontos no IBOPE. Yu Yu Hakusho, na fase final da emissora, chegou a liderar a audiência da Manchete com 4 pontos em 1999, alternando com a última reprise de Pantanal, a tentativa desesperada da emissora de tapar um buraco aberto por Brida – a novela que não teve final.

Jiraiya e Maskman, jogados às pressas na programação final da emissora, também chegaram a figurar no Top 5, muito mais em função de quase não existir nenhum programa próprio na Manchete do que por ser realmente um sucesso. Variavam entre 1 e 2 pontos.

Podemos contar como o último líder de audiência dentro da programação da Manchete o querido Gustavo Kuerten. É isso mesmo. Guga foi um fenômeno praticamente nascido dentro da emissora – a única a transmitir a final de Roland Garros em 1997. A final do Super 9 (atual Master 1000) de Roma em 1999, com a vitória do brasileiro sobre o australiano Patrick Rafter, garantiu à emissora 3 pontos de audiência. Já na semana seguinte, ela tornou-se a TV!, o embrião que hoje é a RedeTV!.

2881442-guga-trofu-roma
GUGA ERGUE A TAÇA DO SUPER 9 DE ROMA EM 1999. ÚLTIMA PARTIDA DE TÊNIS TRANSMITIDA PELA EMISSORA SOB O NOME DE “MANCHETE”

De uma ascensão meteórica com Pantanal ao triste fim com programas do Grupo Imagem & Teleshop (atual Polishop) e igrejas por todos os lados, a Manchete teve uma audiência bem diversificada, como foi conferido neste e no artigo anterior. Como líderes da emissora, tivemos as novelas (Dona Beija, Pantanal, Ana Raio & Zé Trovão, Xica da Silva), os jornalísticos (Documento Especial, Manchete Especial – Documento Verdade, Na Rota do Crime), programas infanto-juvenis (Milk Shake, Clube da Criança), japoneses (Jaspion, Changeman, Kamen Rider Black, Cavaleiros do Zodíaco, Yu Yu Hakusho), transmissões esportivas (Formula Indy, Tênis, Futebol), entre outros. Esta diversificação faz falta hoje em dia, em que os canais a cabo estão cada vez mais segmentados e a TV aberta agoniza. O que aconteceu  com a Manchete virou história. Ainda bem que sempre podemos recordar.

AS AUDIÊNCIAS DA REDE MANCHETE – PARTE 1

pantanal_novela_tv-manchete
“ARA QUE AQUI É SÓ JUVENTINO E MAIS EU”

Algumas informações que são passadas para frente sem a devida checagem acabam tornando-se lendas urbanas, principalmente no meio televisivo. Para ser mais específico, gostaria de colocar alguns números aqui referentes a Rede Manchete de Televisão.

Analisei as audiências da emissora carioca a partir de 1987 até o momento em que ela faliu/fechou/virou Rede TV!, em 1999. Alguns desses dados podem parecer estranhos para quem ficou acostumado com coisas que ouviu falar por aí, como por exemplo, que Cavaleiros do Zodíaco era líder absoluto de audiência, entre outras sandices.

É bom termos em mente que os números do IBOPE de Rio de Janeiro e São Paulo quase sempre são diferentes, ainda mais se levarmos em conta que a Manchete era carioca (o grande reduto de sua audiência). Mas, para uma contagem absoluta, a métrica de utilizar os televisores sintonizados em São Paulo era o determinante, tanto na hora de vender contratos para anunciantes quanto para medir de fato onde o alcance da maior audiência do país, comercialmente falando, acontecia.

cavaleiros_zodiaco
“Os Cavaleiros do Zodíaco foram o maior sucesso da Manchete em todos os tempos!!!” – Frase comum entre fãs imbecis e deslumbrados que não sabem interpretar texto e não procuram fontes

Como os números do IBOPE na Folha de São Paulo (a fonte base para essa pesquisa) geralmente se referiam ao share (porcentagem de aparelhos televisores ligados naquele momento), não há como dosar isto em pontos de audiência. Ainda mais se levarmos em conta que atualmente um ponto se refere a cerca de 67 mil aparelhos ligados, ao passo que nos anos 1980 a contagem era algo em torno de 25 a 30 mil. Portanto, o número de share continua sendo o mais plausível para colocarmos em perspectiva o momento em que a emissora existiu (1983-1999) com o que ela conquistou de fato em termos de audiência.

Chega de explicações, e vamos às curiosidades.

O maior número de share que a Manchete atingiu foi na semana final de Pantanal, em dezembro de 1990. Publicada em 06 de janeiro de 1991 pela Folha de SP, a audiência da novela de Benedito Ruy Barbosa ficou com incríveis 29%. Apenas para fins de comparação, até o início de 1990, a maior audiência da Manchete mantinha uma média de 5 ou 6% – variando entre a novela Kananga do Japão e o humorístico Cabaré do Barata.

pantanal-veja

O crescimento vertiginoso da trama pantaneira alavancou todo o horário nobre da emissora. Por exemplo, a mini-série O Canto das Sereias, exibida sempre ao término do capítulo de Pantanal, teve uma espetacular média de 17% de share. Outras ótimas séries, como Mãe de Santo (máximo de 15%) e Rosa dos Rumos (15% de média), também podem ser consideradas um grande sucesso para os padrões da emissora, e raramente são citadas como tal.

Pantanal manteve uma média de mais de 22% durante toda sua exibição – que iniciou com 11%, na semana seguinte subiu para 14% e em menos de dois meses já batia na marca de 27%. O sucesso do horário fez a TV Globo cancelar o humorístico TV Pirata e alterar sua grade noturna com a estreia às pressas da novela Araponga e da série Riacho Doce (uma clara tentativa de combater as belezas naturais – e a nudez – de Pantanal).

Na esteira de seu sucesso, a novela seguinte da emissora no horário, Ana Raio e Zé Trovão, já saiu de cara com a marca de 12%. Seu pico foi de 21%, um número bastante impressionante para uma novela com uma forma estética e enredo bem diferente do habitual. O sucesso dos personagens de Ana Raio e Zé Trovão foi tão grande que no carnaval de 1991 a Manchete aproveitou a personagem Dolores Estrada (interpretada brilhantemente por Tamara Taxman na trama) para comandar um camarote na Marquês de Sapucaí.

ana-raio-e-ze-trovao-1437744725755_956x500

As séries que eram exibidas logo após Ana Raio e Zé Trovão também tiveram bons números. Filhos do Sol (variou entre 5 e 8%), A Ilha das Bruxas (pico de 9%), Na Rede de Intrigas (9%), Floradas na Serra (9%) e O Guarani (7%). Curiosamente, O Guarani, com a estreia de Angélica como atriz, foi a série com mais baixa audiência. E falando de Angélica…

em-1991-a-extinta-tv-manchete-exibiu-a-minisserie-o-guarani-baseada-no-romance-homonimo-de-jose-de-alencar-a-trama-adaptada-por-walcyr-carrasco-foi-protagonizada-por-leonardo-bricio-que-viveu-1366
“Nem esperaram eu fazer 18 anos para contracenar com o Leonardo Brício peladão, é mole?”

A loura foi responsável por segurar a bronca da audiência da Manchete por quase dois anos, geralmente sendo a líder entre os programas de maior share: o musical Milk Shake, e o paraíso do tokusatsu e dos desenhos animados, o Clube da Criança. Para quem considera o clássico programa infantil o mais exitoso de Angélica na Manchete, está enganado: Milk Shake chegou a dar 10% de share. Aproveitando o gap deixado pela morte de Chacrinha, as gravadoras utilizavam o programa como divulgação de seus contratados, lotando as tardes de sábado da Manchete com diversos cantores populares da época.

126551

Falando de Clube da Criança, o pico de audiência do programa ocorreu em 1989, pouco tempo depois da estreia de Flashman na programação. Segundo a Folha de São Paulo de 21 de maio daquele ano, o programa atingiu 8% de participação, um número incrível se levarmos em conta a concorrência com produtos da Globo do horário – as séries da Sessão Aventura e a novela das seis Vida Nova. Os seriados japoneses foram determinantes no aumento de audiência do Clube. Antes da estreia de Jaspion e Changeman, em janeiro de 1988, o Clube atingia apenas 1% de participação. Já em abril, impulsionado pelos japas, chegava a 4%. No final do primeiro ano de exibição, a audiência do Clube da Criança chegou a bater nos 7%.

angelica-clube-da-crianca-35322

Em outros horários, Jaspion e Changeman se saiam ainda melhores. Com a estreia da sessão Domingo de Aventura, com exibição dos episódios da dupla, a audiência chegou a 7%, segundo informação de 12 de junho de 1988. Em dezembro de 1988, após a estreia dos seriados diariamente no horário da manhã, Changeman chegou a ser a maior audiência da emissora, com 6%, contra 4% de Jaspion. Já em 1989, a maior audiência da história do tokusatsu na Rede Manchete viria com os 8% de share de Jaspion, atingindo 308 mil casas em junho de 1989.

12799432_880992608675882_9217316811532124422_n

Se o Clube da Criança era o local preferido da gurizada para assistir seriados japoneses, a coisa iria começar a mudar com o nascimento de um novo programa, o Cometa Alegria. A partir de novembro de 1989, a dupla Patrick e Cinthya, com ajuda do Mestre Kim, bateria o Clube da Criança em audiência: 4% contra 3%. Claro que o horário em que o Cometa era exibido (pelas manhãs) auxiliava a ter números maiores – enfrentava uma concorrência mais leal de programas infantis do que tendo que duelar contra séries e novelas como o Clube. Mas não deixa de ser um dado interessante.

cometao

Até o surgimento do fenômeno Pantanal, como já foi falado anteriormente, as audiências da Manchete nunca atingiam os 10%, exceção de uma transmissão de um jogo de futebol da seleção brasileira contra o Japão, que conseguiu 15% em 1989. Sendo assim, Angélica (com o Clube da Criança e o Milk Shake) e os seriados japoneses do Cometa Alegria (Jiraiya e Lion Man) seguraram as pontas da emissora por praticamente dois anos, sempre figurando entre os 5 programas mais vistos da casa. Um número bastante expressivo para uma guria de 16 anos de idade e alguns seriados com efeitos especiais bisonhos.

Na segunda parte deste texto, o que aconteceu com a Manchete após os últimos resquícios de audiência oriundas de Pantanal e o fim de Ana Raio e Zé Trovão. Como segurar o IBOPE nas noites da emissora carioca? Quais foram os seus novos sucessos e seus maiores fracassos? E como era sua audiência perto do fim? Até lá. E se alguém quiser as grades detalhadas da audiência, me procure, que lhe enviarei por e-mail.

[Update: a segunda parte do texto está aqui]

12525288_894988463942963_27321488349579911_o

WMAC MASTERS – REVIEWS – PARTE 3

Olá a todos. No começo de dezembro de 2016 decidi rever WMAC Masters pela enésima vez, mas agora aproveitei a oportunidade para fazer um review detalhado da série, pegando na tecnicidade da coisa. Comecei a anotar tudo num caderninho – postei inclusive algumas imagens no Facebook – e depois passei para o computador. Abaixo, estão os episódios de 11 a 13, concluindo a primeira temporada – que foi excelente. Como poderão notar, anotei o dia e horário em que assisti, tentando elencar o máximo de detalhes possíveis. A parte 1 dos reviews você pode ler aqui e a segunda você confere aqui. Divirtam-se, e deem seus pitacos!

———————————–

Episódio 11 – 22/12/2016 – 10h – Campeão: SUPER STAR

#Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) – Categoria 7 – Shorin-Ryu
#Eric Betts (PANTHER) – Categoria 6 – Wu Shu
Zona de Batalha: Dock Danger
Vencedor: TIGER CLAW (2×0)

#Jamie Webster (GREAT WOLF) – Categoria 6 – Karate
#Mike Bernardo (TURBO) – Categoria 3 – Shorin-Ryu
Zona de Batalha: Cidade da Morte (durante uma tempestade)
Vencedor: GREAT WOLF (3×0)

BATTLEDOME
# TIGER CLAW x GREAT WOLF
Vencedor: GREAT WOLF – Categoria 7

*Mike Bernardo (TURBO) faz sua primeira luta na TV após perder o Dragon Star para Herb Perez (OLYMPUS). Como está com status 3 no Dragon Belt, presume-se que ele venceu três Battledomes que não foram televisionados.

 **Fim do feud entre Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) e Jamie Webster (GREAT WOLF), que durava desde que GREAT WOLF utilizou um “golpe proibido” entre os amigos no início do episódio 4. A rixa durou por 7 episódios.

 *** Chris Casamassa (RED DRAGON) e Hien Nguyen (TSUNAMI) gravaram um documentário dentro da academia do WMAC para mostrarem às crianças.

#Mensagem: SUPERSTAR

———————————–

Episódio 12 – 22/12/2016 – 10h25 – Campeão: SUPER STAR

#Hakim Alston (MACHINE) – Categoria 9 – Kickboxe
#Chris Casamassa (RED DRAGON) – Categoria 8 – Karate
Zona de Batalha: Mistérios de Maya
Vencedor: MACHINE (a luta durou 5min e terminou com RED DRAGON caindo na água, sendo desclassificado)

#Herb Perez (OLYMPUS) – Categoria 1 – Tae Kwon Do
#Ho Young Pak (STAR WARRIOR) – Categoria 7 – Wu Shu
Zona de Batalha: Cidade Fantasma
Vencedor: OLYMPUS (4×0)

BATTLEDOME
# MACHINE x OLYMPUS
Vencedor: MACHINE (4×3) – Status Dragon Belt Completo

*Jamie Webster (GREAT WOLF) fez uma exibição quebrando 300kg de gelo com um só golpe, quebrando o recorde anterior que pertencia a Chris Casamassa (RED DRAGON), com 250kg.

 **Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING) fez o website do WMAC Masters.

 ***Herb Perez (OLYMPUS) voltou às lutas na TV desde sua derrota para o atual campeão Ho Sung Pak (SUPER STAR) no episódio 9. Como está com o status 1 no Dragon Belt, presume-se que ele venceu um Battledome que não foi televisionado.

#Mensagem: MACHINE

———————————–

Episódio 13 (Season Finale) – 22/12/2016 – 10h45 – Campeão: SUPER STAR

BATTLEDOME
# Bridgett Riley (BABYDOLL) – Categoria 2 – Kickboxe
# Mer Mer Chen (PRINCESS) – Categoria 3 – Wu Shu
Vencedora: BABYDOLL (3×2) – Categoria 3

*Primeira aparição na TV de Bridgett Riley (BABYDOLL) depois de perder a luta valendo o Dragon Star para Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING). Como já estava com a categoria 2 antes de enfrentar Mer Mer Chen (PRINCESS) no Battledome, presume-se que venceu dois Battledomes que não foram televisionados. Além disso, não foram exibidas as lutas preliminares ao Battledome do episódio 13.

 BATALHA PELO DRAGON STAR
# SUPER STAR (Campeão) x MACHINE (Desafiante)
Vencedor: Sem final

 **Após a entrada de 7 ninjas durante a luta, os dois lutadores são jogados para fora da plataforma. O ninja que os jogou para fora ameaça tirar a máscara para relevar sua face, gerando um imenso cliffhanger para a próxima temporada.

WMAC MASTERS – REVIEWS – PARTE 2

4.0.1

Olá a todos. No começo de dezembro decidi rever WMAC Masters pela enésima vez, mas agora aproveitei a oportunidade para fazer um review detalhado da série, pegando na tecnicidade da coisa. Comecei a anotar tudo num caderninho – postei inclusive algumas imagens no Facebook – e depois passei para o computador. Abaixo, estão os episódios de 6 a 10, restando apenas 3 para terminar a primeira temporada. Como poderão notar, anotei o dia e horário em que assisti, tentando elencar o máximo de detalhes possíveis. A parte 1 dos reviews você pode ler aqui. Divirtam-se, e deem seus pitacos.

Episódio 6 – 19/12/2016 – 9h40min – Campeão: OLYMPUS

CLASSIFICATÓRIAS PARA O “DESAFIO DOS NINJAS”*

*O “Desafio dos Ninjas” consiste em fazer mais pontos durante 45 segundos, enfrentando ninjas em Zonas de Batalha. Cada soco conta 2 pontos; cada nocaute vale 5 pontos, e a cada golpe sofrido o desafiante perde 5 pontos. São 6 competidores e os 4 com melhor pontuação se enfrentam na final dentro do Battledome. O vencedor levará 3 Ki-Symbols dos derrotados.

# Chris Casamassa (RED DRAGON) – Categoria 9 – Karate
Zona de Batalha: Mistérios de Maya – 92 pontos (5º Lugar)

# Hien Nguyen (TSUNAMI) – Categoria 0 – Kung Fu
Zona de Batalha: Salão WMAC – 101 Pontos (3º Lugar)

# Jamie Webster (GREAT WOLF) – Categoria 6 – Karate
Zona de Batalha: Salão WMAC – 126 Pontos (1º Lugar)

# Larry Lam (WARLOCK) – Categoria 4 – Kung Fu
Zona de Batalha: Salão WMAC – 102 Pontos (2º Lugar)

#Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) – Categoria 6 – Shorin-Ryu
Zona de Batalha: Mistérios de Maya – 90 pontos (6º Lugar)

#Eric Betts (PANTHER) – Categoria 6 – Wu Shu
Zona de Batalha: Salão WMAC – 97 Pontos (4º Lugar)

BATTLEDOME
# GREAT WOLF x WARLOCK x TSUNAMI x PANTHER – Luta sem ninjas
Vencedor: TSUNAMI (4-1-1-1) – Categoria 3

História: TSUNAMI (Video debut)
Mensagem: Shannon Lee

———————————————–

Episódio 7 (em inglês) – 19/12/2016 – 10h05min – Campeão: OLYMPUS

# Richard Branden (YIN  YANG MAN) – Categoria 5 – Wu Shu
# Carmichael Simon (KID CARMICHAEL) – Categoria 0 – Wu Shu
Zona de Batalha: ?
Vencedor: KID CARMICHAEL (1-4) – (YIN YANG MAN caiu na água e foi desclassificado)

# Willie Johnson (BAM) – Categoria 5 – Wu Shu
# Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) – Categoria 6 – Shorin-Ryu
Zona de Batalha: Mistérios de Maya
Vencedor: TIGER CLAW (5×0)

BATTLEDOME
# KID CARMICHAEL x TIGER CLAW
Vencedor: TIGER CLAW (4×1) – Categoria 7

#História: OLYMPUS em Nova York

———————————————–

Episódio 8 – 20/12/2016 – 20h40min – Campeão: OLYMPUS

# Eric Betts (PANTHER) – Categoria 6 – Wu Shu
# Hien Nguyen (TSUNAMI) – Categoria 3 – Kung Fu
Zona de Batalha: Pressure Pit
Vencedor: PANTHER (2×0)

# Ho Sung Pak (SUPER STAR) – Categoria 9 – Kung Fu
# Chris Casamassa (RED DRAGON) – Categoria 8 – Karate
Zona de Batalha: Stone Valley
Vencedor: SUPER STAR (4×0) – RED DRAGON desclassificado por tirar sua luva

BATTLEDOME
# PANTHER x SUPER STAR
Vencedor: SUPER STAR (3×1) – Categoria 10/Dragon Belt Completo

*Chris Casamassa (RED DRAGON) perdeu 1 Ki-Symbol no status Dragon Belt após revisão de resultado por apelação de Richard Branden (YIN YANG MAN). Chris falou que daria “sua pele” para conquistar novamente o Ki-Symbol e enfrentou Ho Sung Pak (SUPERSTAR) sem camisa durante as prévias na Zona de Batalha. Durante a luta, teve que tirar sua luva, ocasionando sua derrota automaticamente. O problema era que a luva havia sido trocada por Larry Lam (WARLOCK) devido a uma brincadeira de Jamie Webster(GREAT WOLF) em que colocou pó de pimenta na mesma. (Obrigado ao Mario Spyker pelo alerta)

*Foi anunciado por Shannon Lee que Bridgett Riley (BABYDOLL) completou o Dragon Belt, podendo desafiar a campeã Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING) pelo Dragon Star.

#Mensagem: MACHINE

———————————————–

Episódio 9 – 20/12/2016 – 21h05min – Campeão: OLYMPUS

BATALHA PELO DRAGON STAR
# OLYMPUS (Campeão) x SUPER STAR (Desafiante)
Vencedor: SUPER STAR – Novo Campeão

BATALHA PELO DRAGON STAR FEMININO
# LADY LIGHTNING (Campeão) x BABYDOLL (Desafiante)
Vencedor: LADY LIGHTNING – Primeira defesa como campeã

#História: BABYDOLL
#Mensagem: OLYMPUS

———————————————–

Episódio 10 (em inglês) – 22/12/2016 – 9h40min – Campeão: SUPER STAR

# Richard Branden (YIN YANG MAN) – Categoria 5 – Wu Shu
# Hien Nguyen (TSUNAMI) – Categoria 3 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade Fantasma
Vencedor: TSUNAMI (4×1) – Utilizou uma roda como arma (ilegal)

#Willie Johnson (BAM) – Categoria 5 – Wu Shu
#Larry Lam (WARLOCK) – Categoria 4 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade da Morte
Vencedor: BAM (4×0)

BATTLEDOME
# YIN YANG MAN x BAM
Vencedor: YIN YANG MAN – Categoria 6 (em segundo Dragon Belt)

*Após um replay solicitado pela organização do WMAC, Hien Nguyen (TSUNAMI) foi punido com a perda da vitória na Zona de Batalha por ter utilizado uma roda como arma, o que configura violação e eliminação automática.

#História: YIN YANG MAN
#Mensagem: OLYMPUS

WMAC MASTERS – REVIEWS – PARTE 1

4.0.1
Três campeões e dois amigos

Olá a todos. No começo de dezembro decidi rever WMAC Masters pela enésima vez, mas agora aproveitei a oportunidade para fazer um review detalhado da série, pegando na tecnicidade da coisa. Comecei a anotar tudo num caderninho – postei inclusive algumas imagens no Facebook – e depois passei para o computador. Abaixo, os primeiros 5 episódios. Como poderão notar, anotei o dia e horário em que assisti, tentando elencar o máximo de detalhes possíveis. Divirtam-se, e deem seus pitacos.

———————————————–

Episódio 1 – 12/12/2016 – 10h20min – Campeão: TURBO

# Hakim Alston (MACHINE) – Categoria 8 – Kickboxe
# Jamie Webster (GREAT WOLF) – Categoria 6 – Karate
Zona de Batalha: Mistérios de Maya
Vencedor: MACHINE (5×0)

# Chris Casamassa (RED DRAGON) – Categoria 5 – Karate
# Ho Sung Pak (SUPER STAR) – Categoria 8 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade da Morte
Vencedor: SUPER STAR (2×0)

BATTLEDOME
# MACHINE x SUPER STAR – Luta sem ninjas
Vencedor: SUPER STAR (3×2) – Categoria 9 / Status Dragon Belt

História: Hakim Alston (MACHINE)
Mensagem: Herb Perez (OLYMPUS)

———————————————–

Episódio 2 – 12/12/2016 – 22h05min – Campeão: TURBO

# Ho Young Pak (STAR WARRIOR) – Categoria 7 – Kung Fu
# Ho Sung Pak (SUPER STAR) – Categoria 9 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade Fantasma
Vencedor: STAR WARRIOR (4×1 – DQ)

# Herb Perez (OLYMPUS) – Categoria 9 – Tae Kwon Do
# Hien Nguyen (TSUNAMI) – Categoria 0 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade Fantasma
Vencedor: OLYMPUS (6×0)

BATTLEDOME
# STAR WARRIOR x OLYMPUS
Vencedor: OLYMPUS (4×3, na morte súbita) – Categoria 10 / Dragon Belt Completo

* Apresentação com fogo de Richard Branden (YIN YANG MAN). Ele foi o último a completar o Dragon Belt. Foi derrotado pelo campeão Mike Bernardo (TURBO), que defendeu o título pela 2ª vez consecutiva. Não foi citado qual foi o primeiro desafiante de TURBO antes de YIN YANG MAN enfrenta-lo.

História: Ho Young Pak (STAR WARRIOR) e Ho Sung Pak (SUPER STAR)
Mensagem: Chris Casamassa (RED DRAGON) – “Os 8 pontos do Dragon Star: Respeito, Lealdade, Sabedoria, Honra, Compaixão, Perdão, Coragem e Disciplina”.

———————————————–

Episódio 3 – 13/12/2016 – 10h35min – Campeão: TURBO

# Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING) – Categoria 8 – Kenpo
# Mer Mer Chen (PRINCESS) – Categoria 3 – Wu Shu
Zona de Batalha: Cidade da Morte
Vencedor: LADY LIGHTNING (3×0)

# Bridgett Riley (BABYDOLL) – Categoria 7 – Kickboxe
# Michele Krasnoo (MOUSE) – Categoria 3 – Karate
Zona de Batalha: Cidade da Morte
Vencedor: BABYDOLL (5×0)

BATTLEDOME
# LADY LIGHTNING x BABYDOLL
Vencedor: LADY LIGHTNING (4×2) – Categoria 9 / Status Dragon Belt

BATALHA PELO DRAGON STAR
# TURBO (Campeão) x OLYMPUS (Desafiante)
Vencedor: OLYMPUS – Novo Campeão

– Ocorreram 5 violações durante a luta, ocasionando a entrada de 5 ninjas

História: Herb Perez (OLYMPUS) e Eric Betts (PANTHER)
Mensagem: Hakim Alston (MACHINE) – “Você é o mestre do seu próprio destino”.

———————————————–


Episódio 4 – 15/12/2016 – 9h30min – Campeão: OLYMPUS

# Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) – Categoria 6 – Shorin-Ryu
# Jamie Webster (GREAT WOLF) – Categoria 6 – Karate
Zona de Batalha: Cidade da Morte
Vencedor: GREAT WOLF (perdia por 2×3, mas nocauteou TIGER CLAW)

# Chris Casamassa (RED DRAGON) – Categoria 8 – Karate
# Hien Nguyen (TSUNAMI) – Categoria 0 – Kung Fu
Zona de Batalha: Mistérios de Maya
Vencedor: RED DRAGON (3×0)

BATTLEDOME
# GREAT WOLF x RED DRAGON
Vencedor: RED DRAGON (4×2) – Categoria 9 / Status Dragon Belt

* Apresentação de Eric Betts (PANTHER) em uma mesa de pregos

* OBS: Anúncio, por Shannon Lee, de que RED DRAGON, SUPER STAR e MACHINE empataram na categoria 9. Nota-se aqui uma clara falha de continuidade, visto que MACHINE ainda estava com o Status 8 (só viria a ficar com 9 no episódio seguinte), e RED DRAGON tinha Status 5 até este programa. Ele iniciou a batalha contra TSUNAMI já na categoria 8, dando a entender que venceu 3 combates que não foram mostrados na TV, mas não houve explicação alguma.

História: Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) e Jamie Webster (GREAT WOLF)
Mensagem: Ho Sung Pak (SUPER STAR)

———————————————–

Episódio 5 – 15/12/2016 – 9h55min – Campeão: OLYMPUS

# Eric Betts (PANTHER) – Categoria 6 – Wu Shu
# Hakim Alston (MACHINE) – Categoria 8 – Kickboxe
Zona de Batalha: Pesadelo Nuclear
Vencedor: MACHINE (5×0)

# Johnny Lee Smith (TIGER CLAW) – Categoria 6 – Shorin-Ryu
# Larry Lam (WARLOCK) – Categoria 4 – Kung Fu
Zona de Batalha: Cidade Fantasma
Vencedor: WARLOCK (2×0)

BATALHA PELO DRAGON STAR
# Lynette Love (TARANTULA) (Campeã) x Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING) (Desafiante)
Vencedora: LADY LIGHTNING – Nova Campeã
* Foi mostrado apenas um pequeno trecho (em replay) da batalha. Segundo Shannon Lee, a luta durou 25 minutos.

BATTLEDOME
# MACHINE x WARLOCK
Vencedor: MACHINE (3×2) – Categoria 9 / Status Dragon Belt

*O episódio mostrou a paixão de Hien Nguyen (TSUNAMI) por Shannon Lee, e a importância de não se desistir dos objetivos traçados.

* OBS: Christine Rodrigues (LADY LIGHTNING) estava com Status 9 no Dragon Belt após vencer Bridgett Riley (BABYDOLL) no Battledome no episódio 3. Para ser desafiante ao título de Lynette Love (TARANTULA), necessitava de 10. O programa suprimiu a vitória em que Christine conquistou o 10º Ki-Symbol.

História: Chris Casamassa (RED DRAGON) – Caso de amor com uma astronauta
Mensagem: Herb Perez (OLYMPUS)

Minhas 25 canções favoritas da Legião Urbana

Perto do marco dos 20 anos da morte de Renato Russo, resolvi escutar Legião Urbana novamente (coisa que volta e meia acontece). Daqui a pouco eu enjoo e fico vários meses sem ouvir, “mas tudo bem”.

Como eu gosto muito de listas (e as variações que elas costumam ter conforme o humor), minhas 25 músicas favoritas da Legião Urbana no dia 12 de Julho de 2016 são essas que estão ali em baixo. São escolhas muito pessoais (claramente), e embora eu tenha tentado fugir um pouco do óbvio – não tem “Pais e Filhos”, “Será” e outras que eu não aguento mais -, ainda tem várias carnes-de-vaca aí no meio.

Sempre foi moda gostar de Legião Urbana, assim como sempre foi moda odiar a banda. Eu gosto muito desde que me conheço por gente e o LP do “Que País É Esse?” não parava de rodar na casa da minha tia. Meu pai tinha fitas K7 gravadas e tocava no violão várias canções da banda – como todo mundo que tem um violão e um livrinho de cifras em casa. A memória afetiva sempre me pega para essas questões.

Lembro muito bem da morte do Renato Russo, naquela sexta-feira ensolarada de 11 de Outubro de 1996 em que a Cristina Ranzolin interrompeu meu almoço pra falar que ele tinha empacotado, e a partir daí a lasanha desceu quadrada. Eu tinha 11 anos de idade, e ficava pensando, com a maior ingenuidade e babaquice do mundo, “o que vai ser da juventude daqui pra frente?”. Ao acabar o trabalho de artes em grupo que tínhamos que fazer naquela tarde, restou só ir pra casa acompanhar as lamentações no Aqui Agora, assistir aos clipes no Tele Ritmo da TV Guaíba e no Radar da TVE. Aquela quantidade de gente chorando e tudo o mais me fez ver que tinha morrido um pedaço importante da História, seja ela boa ou ruim, mas História.

E o que sobrou pra juventude daquele tempo? Acho que fazer listas de músicas favoritas de bandas que acabaram há 20 anos é um bom indício.

25. Um Dia Perfeito

24. Maurício

23. Conexão Amazônica

22. Eu Era um Lobisomem Juvenil

21. Angra dos Reis

20. A Montanha Mágica

19. Sereníssima

18. Índios

17. Ainda é Cedo

16. 1965 (Duas Tribos)

15. O Teatro dos Vampiros

14. Por Enquanto

13. Giz

12. Do Espírito

11. Acrilic On Canvas

10. Faroeste Caboclo

09. L’Âge D’Or

08. Vinte e Nove

07. Daniel Na Cova dos Leões

06. Soldados

05. A Fonte

04. Feedback Song for a Dying Friend

03. Perfeição

02. Os Barcos

01. Andrea Doria

 

As melhores novelas da Globo dos últimos 30 anos

Juntei uma rapaziada esperta que também assiste novelas e resolvi montar esse ranking das novelas da Rede Globo de 1987/1988 (período em que comecei a assistir) até 2016. Só depois fui me ligar que isso já soma praticamente 30 anos de desgraça. Eis o resultado final das 20 melhores colocadas de cada gênero (21h/20h, 19h e 18h). Foram somadas notas de 0 a 10 dos jurados, totalizando a média final. Se o post fizer “sucesso”, eu coloco as restantes.

novelas